Banco é apenas o começo: 27 tipos de indústrias onde o blockchain poderia ser usado.


27 tipos de indústrias onde o blockchain poderia ser usado

Bancos e pagamentos não são as únicas indústrias que podem ser afetadas pela tecnologia blockchain. A aplicação da lei, serviços de transporte e caridade também podem ser transformados.

 

A existência da Bitcoin como uma moeda digital descentralizada é possível graças à tecnologia conhecida como blockchain, essencialmente um registro público que verifica e registra de forma segura e automática um elevado volume de transações digitalmente.

Os empresários passaram a acreditar que mais indústrias poderiam ser interrompidas usando esta tecnologia. Há uma abundância de casos de uso de negócios para as transações que são verificadas e organizadas por uma plataforma descentralizada que não exige supervisão central, mesmo que ela permanece resistente à fraude.

Aqui estão algumas das maneiras que as empresas – grandes e pequenas – estão tentando aproveitar o poder da cadeia de bloqueio. Inicialmente, publicamos este post em julho de 2016 e atualizamos com novos casos de uso de blockchains.

1 – Bancos

Os bancos servem essencialmente como armazéns seguros e centros de transferência de valor, e blockchain – como um ledger digitalizado, seguro e inviolável – pode abordar a mesma função. Na verdade, o banco suíço UBS e o Barclays, com sede no Reino Unido, estão experimentando-o como uma forma de acelerar as funções de back office e liquidação. Alguns na indústria bancária até dizem que ele poderia cortar até US $ 20 bilhões em custos com mediadores. Não surpreendentemente, os bancos estão entre o crescente número de gigantes de serviços financeiros que investem em startups de blockchain. A empresa R3 CEV, já conta com 50 bancos em seus consórcios para desenvolver soluções customizadas de blockchain para o setor financeiro.

Um grupo chamado Thought Machine desenvolveu o Vault OS (com foto acima) com tecnologia privada de estilo blockchain e registros criptográficos para permitir que um banco de qualquer idade ou tamanho forneça sistemas financeiros seguros de ponta a ponta.

 2 – Pagamentos e Transferências de dinheiro

Em um artigo recente, o World Economic Forum argumentou que as tecnologias de pagamentos descentralizados – como a própria bitcoin – poderiam transformar a “arquitetura de negócios” para transferências de dinheiro, que permaneceu estática nos últimos 100 anos, de acordo com um artigo sobre o documento do WEF na Forbes. Blockchain torna possível contornar esses sistemas desajeitados e criar um fluxo de pagamento mais direto que conecta pagadores e beneficiários – através das fronteiras ou domesticamente – sem intermediários, com taxas ultra baixas e velocidade quase instantânea. Abra (foto acima) é uma startup que está usando a tecnologia blockchain para transferências globais de dinheiro baseado em bitcoin e blockchain.

3 – Cibersegurança

Embora o ledger blockchain seja público, as comunicações de dados são verificadas e enviadas usando técnicas criptográficas avançadas. Isso garante que os dados são das fontes corretas e que nada é interceptado no ínterim. Se a tecnologia blockchain for mais amplamente adotada, a probabilidade de hackeamento poderia cair, como blockchain é conhecido por ser mais robusto do que muitos sistemas lendários. Uma maneira de reduzir o risco convencional de cibersegurança é simplesmente eliminando a necessidade de praticamente todos os intermediários humanos. “Ao eliminar a necessidade de um mediador diminuem as preocupações de segurança em potencial desde hacking até a corrupção”, escreve Goldman Sachs. Guardtime (foto acima) é uma startup estoniana focada em uma abordagem baseada em blockchain para a cibersegurança industrial.

4 – Recordes acadêmicos e academia

A Holbertson School, um programa de habilidades de software com base na Califórnia, anunciou que usaria a tecnologia blockchain para autenticar certificados acadêmicos. Isto assegurará que os estudantes que reivindicam que passaram nos cursos da Holbertson School não estão usando a acreditação que não mereceram. Se mais escolas começassem a adotar certificados, transcrições e diplomas transparentes, essa fraude poderia ser mais facilmente combatida, sem mencionar as economias de tempo e economia ao evitar checagem manual e documentos em papel.

5 – Votando

As eleições exigem autenticação da identidade dos eleitores, registro seguro para acompanhar os votos e contagens confiáveis para determinar o vencedor. Blockchain pode servir como o meio para o lançamento, rastreamento e contagem de votos para que nunca haja uma questão de fraude eleitoral, registros perdidos, ou trapaças. Ao votar como transação dentro da blockchain, os eleitores podem concordar com a contagem final porque podem contar os votos eles mesmos, e por causa da trilha de auditoria de bloco, eles podem verificar que nenhum voto foi alterado ou não foram adicionados votos ilegítimos. Follow My Vote está no meio de uma campanha Kickstarter para ajudar a financiar sua ambição para um sistema de votação online verificável de ponta a ponta.

6 – Financiamentos de carros e vendas

A Visa e a DocuSign divulgaram uma parceria no final do ano passado, que usou blockchain para construir uma prova de conceito para simplificar o leasing de carros e torná-lo um processo de “clique, assine e dirija”. O cliente em perspectiva escolhe o carro que quer alugar e a transação é registrada no ledger do blockchain; Em seguida, a partir do assento do motorista, o cliente assina um contrato de locação e uma apólice de seguro, e o blockchain é atualizado com essa informação também. Não é um difícil imaginar que um processo deste tipo poderia ser desenvolvido para vendas  e registro de carros também.

7 – Rede e IoT

A IBM e a Samsung estão trabalhando em um conceito conhecido como ADEPT, que usa tecnologia de tipo blockchain para formar a espinha dorsal de uma rede descentralizada de dispositivos IoT. Com o ADEPT, que significa Autonomous Decentralized Peer-to-Peer Telemetry, um blockchain serviria como um ledger público para uma enorme quantidade de dispositivos, que já não precisa de um hub central para mediar a comunicação entre eles, de acordo com a CoinDesk. Sem um sistema de controle central para identificar um ao outro, os dispositivos seriam capazes de se comunicar uns com os outros de forma autônoma para gerenciar atualizações de software, bugs ou gerenciamento de energia (imagem de crédito: IBM).

Outros também estão procurando construir a tecnologia blockchain em uma plataforma IoT. Por exemplo, a Filament, uma empresa que constrói uma rede descentralizada usando o blockchain (entre outras coisas) para que os sensores se comuniquem entre si, levantou uma Série A de US $ 5M, com participação tanto da Verizon Ventures quanto da Samsung Ventures.

8 – Previsões

Toda a pesquisa, análise, consultoria e indústrias de previsão poderiam ser abaladas por blockchain. A plataforma online de crowdfunding Augur espera capitalizar em mercados de previsão descentralizados. A empresa diz que vai oferecer um serviço que parece uma troca de apostas normal. Todo o processo será descentralizado, e não só oferecerá aos usuários um lugar para fazer apostas em esportes e ações, mas em outros temas, como eleições e desastres naturais. A idéia é ir além do jogo esportivo e criar um “mercado de previsões”.

9 – Música Online

Muitos artistas musicais estão se voltando para o blockchain como uma forma de tornar o compartilhamento de música online mais justo. Três empresas estão tentando resolver este e outros problemas, fazendo pagamentos mais diretos para os artistas e usando contratos inteligentes para resolver automaticamente problemas de licenciamento, relatórios Biilboard. PeerTracks, que ainda está em desenvolvimento, tem como objetivo oferecer uma plataforma de streaming de música que permite aos usuários ouvir música e usar o blockchain para pagar diretamente os artistas sem intermediários. A plataforma também espera criar um envolvimento mais direto entre artistas e clientes.

A Mycelia, fundada pelo vencedor do Grammy, Imogen Heap, desenvolve canções inteligentes com contratos inteligentes embutidos. Os contratos permitem que os artistas vendam diretamente aos fãs sem passar por uma gravadora.

Ujo Music (foto acima), que diz que está reconstruindo a indústria da música no blockchain, é liderada pelo empresário Phil Barry. Ele também espera resolver o problema de streaming de música e pagamento dos artistas. Além de streaming, Ujo é vista como uma maneira de melhor catalogar que  artistas e criadores estão por trás de quais canções; Também usando contratos inteligentes como os cérebros autônomos por trás das listagens.

10 – Caronas compartilhadas

Aplicativos de carona como Uber parecem ser o oposto da descentralização – ou seja, uma empresa atuando como um eixo despachante e usando seus algoritmos para controlar sua frota de motoristas e o que eles cobram. A startup israelense La’Zooz (foto acima) quer ser o “anti-Uber”, de acordo com Bloomberg. Criaram sua própria moeda digital – como bitcoin – que é gravada digitalmente usando a tecnologia blockchain. Em vez de usar uma rede centralizada para chamar táxis, as pessoas usam La’Zooz para encontrar outras pessoas viajando por rotas semelhantes e trocando moedas pelos passeios. Estas moedas podem então ser usadas para passeios futuros. Os usuários ganham (ou “minam”) essas moedas ao permitir que o aplicativo siga suas localizações.

11 – Mercado de Ações

Durante anos, as empresas têm trabalhado para facilitar o processo de compra, venda e negociação de ações, e as novas startups centradas em blocos pensam que podem automatizar e proteger o processo de forma mais eficiente do que qualquer outra solução. TØ.com, que é uma subsidiária da Overstock, quer permitir transações de ações on-line usando tecnologia blockchain. A Overstock já usou blockchain para emitir títulos privados, mas agora a SEC aprovou a emissão de títulos públicos pela TØ.com, informa a Wired. Blockchain Startup Chain (mencionado abaixo), entretanto, está trabalhando com a Nasdaq para permitir a negociação de ações em empresas privadas através de um blockchain.

12 – Mercado Imobiliário

Problemas cruciais para compra e venda de propriedade incluem: falta de transparência durante e após transações, quantidades copiosas de papelada, possível fraude e erros em registros públicos para citar apenas alguns. Blockchain oferece uma maneira de reduzir a necessidade de registros de papel e acelerar as transações. Aplicativos blockchain imobiliário podem ajudar a gravar, acompanhar e transferir títulos de terra, escrituras de propriedade, embargos etc e ajuda a garantir que os documentos são precisos e verificáveis. Ubitquity (foto acima), oferece uma plataforma para instituições financeiras, títulos e empresas de hipoteca e visa garantir documentos, aumentando a transparência e reduzindo custos. A versão alpha da empresa estará disponível no verão de 2016.

13 – Seguros

Empresas como AirBnB, Tujia, Wimdu e outras oferecem uma maneira para que as pessoas troquem temporariamente ativos – incluindo casas particulares – por um determinado valor. O problema é que é quase impossível segurar seus recursos nessas plataformas. Juntamente com a Stratumn uma startup de blockchain (foto acima), empresa de serviços profissionais Deloitte e prestadora de serviços de pagamento Lemonway recentemente revelou uma solução de bloqueio habilitado chamado LenderBot. É uma prova de conceito de micro-seguro para a economia de compartilhamento e demonstra o potencial para aplicações e serviços blockchain na indústria. LenderBot permite que as pessoas se inscrevam em micro-seguro personalizado, conversando através do Facebook Messenger. O objetivo é garantir itens de alto valor trocados entre indivíduos e com a blockchain servindo como terceira parte no contrato de empréstimo.

14 – Planos de Saúde

Instituições de saúde sofrem de uma incapacidade de compartilhar dados de forma segura entre plataformas. Melhor colaboração de dados entre os provedores significa maior probabilidade de diagnósticos precisos, maior probabilidade de tratamentos eficazes, e o aumento global da capacidade dos sistemas de saúde para fornecer cuidados eficazes em termos de custos. Blockchain pode permitir que os hospitais, os pagadores e outras partes da cadeia de valor da saúde compartilhem o acesso às suas redes sem comprometer a segurança e a integridade dos dados. A startup Gem (foto acima) lançou a Gem Health Network – que oferece uma plataforma Ethereum blockchain-habilitada com tecnologia de autenticação multi-assinaturas e multi-fatores – para criar uma infraestrutura de dados universal segura. Tierion é outra startup blockchain que construiu uma plataforma para armazenamento de dados e verificação em saúde. A Gem e a Tierion recentemente se associaram à Philips Healthcare no Philips Blockchain Lab.

15 – Gestão de cadeia de suprimentos

Um dos aspectos mais universalmente aplicáveis da tecnologia blockchain é que permite um monitoramento mais seguro e transparente das transações. As cadeias de suprimento são basicamente uma série de nós de transação que se conectam para mover produtos do ponto A para o ponto de venda ou a implantação final. Com blockchain, como os produtos mudam de mãos em uma cadeia de suprimentos de fabricação para venda, as transações podem ser documentadas em um registro descentralizado permanente – reduzindo os atrasos de tempo, custos adicionais e erros humanos. Várias startups blockchain estão pulando para este setor: Provenance (na foto acima) está construindo um sistema de rastreabilidade para materiais e produtos, Fluent oferece uma plataforma alternativa para emprestar em cadeias de fornecimento globais, e Skuchain constrói produtos baseados em blockchain  para transações de negócios-para-negócios e para o mercado de cadeia de suprimentos.

16 – Armazenamento na Nuvem

Empresas que oferecem armazenamento em nuvem muitas vezes protegem os dados dos clientes em um servidor centralizado, o que pode significar maior vulnerabilidade da rede de ataques de hackers. As soluções de armazenamento em nuvem Blockchain permitem que o armazenamento seja descentralizado e, portanto, menos propenso a ataques que podem causar danos sistêmicos e perda generalizada de dados. Storj (na foto acima) está com uma versão beta de uma rede de armazenamento em nuvem blockchain habilitada para melhorar a segurança e reduzir os custos de transação de armazenamento de informações na nuvem. Os usuários Storj também podem alugar seu espaço de armazenamento digital não utilizado, criando potencialmente um novo mercado para a capacidade de armazenamento em nuvem crowdsourced.

17 – Gestão de energia

A gestão de energia é outra indústria que tem sido historicamente altamente centralizada. Nos EUA, para fazer transações em energia você tem que passar por uma holding de energia confiável como Duke Energy, ou National Grid no Reino Unido, ou lidar com um revendedor que compra de uma grande empresa de energia elétrica. Startups como Transactive Grid (foto acima) – uma transação de risco entre LO3 Energia e Ethereum Consensys situada no Brooklyn – oferecem tecnologia Ethereum blockchain que permite aos clientes realizar transações em esquemas de geração de energia descentralizada e, efetivamente, permite que as pessoas gerar, comprar e vender energia para seus vizinhos. LO3 Energia também tem projetos que incluem Brooklyn Microgrid e Projeto Exergia, sendo este último uma prova de conceito-de aproveitamento de excesso de calor expelido por computadores.

18 – Gestão de Esportes

Investir em atletas tem sido geralmente da competência de agências de gestão esportiva e corporações, mas blockchain poderia descentralizar o processo de financiamento de atletas, democratizando a capacidade dos fãs de ter uma participação financeira no futuro das estrelas esportivas de amanhã. O conceito de usar blockchain para investir em atletas com retornos não foi tentado em qualquer escala significativa. No entanto, pelo menos uma organização, o Instituto Jetcoin, promoveu a idéia de cybermoeda (neste caso, “Jetcoins”) com a qual os fãs podem investir em seus atletas favoritos, e mais tarde a oportunidade de receber uma parte dos ganhos futuros do atleta, Bem como eventos VIP e upgrades de assentos, etc. Jetcoin tem experimentado  esta abordagem em uma parceria com a equipe de futebol Hellas Verona na Itália.

 19 – Cartões de presentes e fidelidade

Blockchains pode ajudar os varejistas que oferecem cartões de presente e programas de fidelidade torná-los mais baratos e mais seguros. Com menos intermediários necessários para processar a emissão de cartões e transações de vendas, o processo de aquisição e utilização de cartões de oferta dependentes de blockchains é mais eficiente e econômico. Da mesma forma, o aumento dos níveis de prevenção contra fraudes, possibilitado pela capacidade de verificação exclusiva do bloqueio, também economiza custos e ajuda a proibir usuários ilegítimos de obterem contas roubadas. A Gyft, uma plataforma online para comprar, enviar e resgatar cartões-presente que é de propriedade da First Data, tem parceria com a  blockchain e o provedor de infraestrutura Chain (foto acima) para executar cartões de presente para milhares de pequenas empresas no blockchain – o novo programa é chamado Gyft Quadra.

20 – Benefícios públicos e governamentais

A distribuição de ajuda e bem-estar é uma área em que blockchain pode ajudar a racionalizar e garantir a governança pública. A empresa GovCoin Systems Limited é uma empresa de tecnologia financeira com sede em Londres que apoia o governo do Reino Unido na distribuição de benefícios.

21 – Rastreamento de armas

O ledger distribuído de Blockchain oferece várias oportunidades para armas mais seguras e inteligentes. Com registos públicos conectados através de blockchain seriam mais difíceis de se adulterar e poderiam impedir que os candidatos considerados inadequados para adquirir armas as adquirissem. Além disso, a vinculação de registros de saúde com a posse de armas poderia alertar as forças policiais quando os proprietários sofressem um evento de vida que poderia ser associado a uma maior possibilidade de violência. Uma startup chamada Blocksafe está se concentrando na criação de um sistema baseado em blocos que permita aos usuários rastrear os locais de suas armas e se eles foram recentemente disparadas ou não.

 22 – Testamentos e heranças

Testamentos são um tipo específico de contrato e isso os torna bem adequado para uma solução blockchain de contratos-inteligentes. O advogado da Blockchain Technologies Corp, Eric Dixon, afirma que “a maior parte dos litígios envolvem desafios à autenticidade de um testamento” e que, embora blockchain não eliminaria completamente esses desafios, seu sistema de contabilidade distribuída tornaria mais fácil identificar Informações e rejeitar alegações que não têm mérito. Vincular documentos relacionados ao patrimônio de uma pessoa através de um sistema de blockchain verificáveis daria aos executores acesso a um conjunto mais confiável de dados do que dos sistemas atuais, onde documentos de origens díspares precisam ser classificados para determinar sua veracidade.

23 – Varejo

Atualmente, a confiança no sistema de varejo está principalmente ligada à confiança no mercado onde essa compra está sendo feita, um elemento da Amazon é a primeira parada dos usuários ao fazer compras on-line. Startups como o OpenBazaar estão desenvolvendo utilitários de blockchain descentralizados projetados para conectar compradores e vendedores sem um intermediário e as taxas associadas (desculpe Amazon). Nesses casos, a confiança no sistema viria da segurança das trocas de blockchain e de um sistema de contrato inteligente. OB1 arrecadou US $ 4M em duas rodadas e ostenta Andreessen Horowitz e Union Square Ventures entre seus investidores.

24 – Caridade

Para quem está interessado em doações de caridade, o recurso exclusivo do blockchain é a habilidade de rastrear exatamente onde suas doações estão indo, quando elas chegaram, e em cujas mãos elas realmente acabaram. As queixas perenes em torno de doações de caridade incluem ineficiência organizacional e corrupção que podem impedir o dinheiro de chegar para aqueles a quem foram destinados ou de serem utilizados de forma eficaz. As instituições de caridade baseadas em Bitcoin, como a BitGive Foundation, usam o ledger distributivo seguro e transparente do blockchain para permitir que os doadores vejam que a parte pretendida recebeu os fundos. Blockchain também torna a adulteração mais difícil e facilita as transações com taxas mais baixas do que aqueles geralmente associados com intermediários de transferência de dinheiro ou grandes organizações de caridade.

25 – Aplicação da lei

Há dois casos de uso notáveis para blockchain na aplicação da lei: gerenciamento de evidências / rastreamento e sinalização de padrões de transação suspeitos. Nas investigações policiais, a manutenção da integridade da cadeia de evidências é primordial, de modo que um registro distribuído e difícil de falsificar mantido via blockchain poderia fornecer uma camada adicional de segurança ao processo de tratamento de evidências. A Startup Chronicled arrecadou quase US $ 5 milhões em financiamento para desenvolver recipientes seláveis e invioláveis com chips de comunicações de campo próximo que registram os conteúdos através de um sistema de bloqueio, que poderia ter aplicativos para a aplicação da lei. Além disso, a Elliptic, outra startup com pouco mais de US $ 7 milhões em financiamento, está desenvolvendo um sistema para verificar continuamente registros bitcoin e sinalizar transações / histórias suspeitas e alertar os policiais para que possam iniciar investigações.

26 – Recursos Humanos

Fazer verificações de antecedentes e checar as históricos de emprego são tarefas demoradas para profissionais de recursos humanos. Se o emprego e os registros criminais fossem armazenados em um ledger de blockchains e livres da possibilidade de falsificação, os profissionais de RH poderiam agilizar o processo de seleção. A Recruit Technologies recentemente se associou com ascribe.io para desenvolver Certificados de Autenticidade criptográficos com suporte a blocos, um possível primeiro passo para a construção de um sistema de histórico de empregos mais transparente e facilmente verificado. Isso representa um novo empreendimento para a Ascribe, que se concentrou principalmente no rastreamento da propriedade intelectual.

27 – Serviços de Corrida de Passageiros

Serviços de corridas de passageiros como Uber e Lyft têm lutado com questões como a regulamentação e o tratamento de seus motoristas, mas soluções de blockchain  podem oferecer a passageiros e motoristas semelhantes novas opções. Startup A Arcade City, uma empresa de grande porte em Austin, TX, leva uma porcentagem de tarifas aéreas e facilita todas as transações através de um sistema blockchain, mas permite que os motoristas “estabeleçam suas próprias formas de transação financeira”, em oposição à companhia de compartilhar caronas La’Zooz, que usa uma moeda eletrônica proprietária para pagar por passeios em seu serviço. Além disso, Arcade City foi projetado em torno de corridas solicitadas para motoristas profissionais ao invés de apenas conectar passageiros com motoristas que possuem um destino comum.

 

 

 

 

Leia também  6# Passos para manter seus bitcoins em segurança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×